Memórias de um Sargento de Milícias

“Memórias de um Sargento de Milícias”, do autor Manuel Antônio de Almeida é um dos mais importantes e populares romances da literatura nacional. Igualmente, é uma das obras mais requeridas em vestibulares e provas formidáveis, haja vista sua importância na segunda geração do movimento do Romantismo. No entanto, é importante ter ciência de que existe também no livro a carnavalização – procedimento que inverte a posição das classes sociais mais baixas, que se tornam centrais onde, tradicionalmente, seriam secundárias – além de fazer do humor um eixo central da obra, característica rara no Romantismo.

Memórias de um Sargento de Milícias

Foto: Reprodução

O início de uma história problemática

Maria da Hortaliça e Leonardo Pataca se conheceram num navio que o trazia de Portugal para o Brasil. Em seu primeiro contato trocaram “um beliscão” e “uma pisadela” para sinalizar o interesse que sentiam um pelo outro, rapidamente dando início ao namoro. Com o passar do tempo, se casam, vivem de forma feliz e acabam por ter um filho: o real protagonista da história, que também se chamaria Leonardo. Tudo parecia bem, quando inesperadamente Maria abandona Pataca e retorna sozinha para Portugal, deixando marido e filho para trás.

Desiludido, Pataca se recusa a criar o filho e acaba deixando-o com Barbeiro, o padrinho da criança, que passa a dedica-la cuidados de um terno pai. Enquanto isso, o pai do jovem Leonardo se envolve com uma cigana e é novamente abandonado. Acaba por recorrer à feitiçaria para tentar tê-la de volta, mas é flagrado pelo Major Vidigal exercendo a prática que na época era proibida, sendo levado preso. Em seguida é solto, mas permanece sem interesse pelo filho, que é uma criança levada e difícil.

Um péssimo aluno e sem interesse em melhorar, Leonardo pede ao padrinho que lhe permita frequentar a igreja para ser coroinha. O Barbeiro imediatamente se alegra com o pedido de seu afilhado, já que vislumbra nessa condição a oportunidade de lhe dar um futuro melhor, mas sua alegria dura pouco: sem tomar jeito, o garoto continua aprontando e é expulso da condição de coroinha, passando então a vadiar.

O primeiro amor, a primeira desilusão

Num certo dia, Leonardo conhece a moça Luisinha, uma rica herdeira por quem se apaixona. Encanta-se com a beleza e jeito tímido da moça, mas tem os planos frustrados quando ela se casa com o esperto e interesseiro José Manuel. Triste e vendo que suas investidas foram em vão, o agora rapaz continua aprontando, até sofrer mais um baque da vida: o falecimento de Barbeiro, seu padrinho. Perder o homem que sempre lhe cuidou bem durante toda a vida, lhe dedicando amor, carinho e atenção, foi um golpe duro para Leonardo.

Vendo-se sozinho no mundo, passa a morar com Pataca, seu pai biológico. Os dois, embora não se entendessem, eram extremamente semelhantes, principalmente no quesito personalidade. Infelizmente isso não foi suficiente para uni-los, e após muito desentender-se com sua madrasta, Leonardo foi expulso de casa por seu pai.

Novamente sozinho, lembra-se de um amigo da época clerical e vai morar em sua casa. Conhece a mulata Vidinha e se apaixona por ela, tentando esquecer a decepção amorosa que sofreu com Luisinha. A moça também nutria carinho por ele, mas era disputada por diversos pretendentes, que não perdiam tempo em fazer intrigas contra Leonardo. Depois de tantas intrigas, sai novamente de casa. Reaparece, então, a figura do Major Vidigal – que prendera seu pai ao praticar feitiçaria – caçador de ociosos no Rio de Janeiro. O Major deixa claro que prenderia o rapaz, a não ser que ele se alistasse. Vendo-se obrigado a livrar-se da prisão, Leonardo se alista, mas não tem uma experiência militar menos problemática do que fora sua vida inteira. Distribui ofensas e sabotagens gratuitas, além de seguidamente desobedecer ao Major, sendo preso.

A chance de recomeçar

Para sorte de Leonardo, Maria Regalada estava disposta a ajuda-lo. Ela era uma ex-namorada de Vidigal, e prometera ao Major que eles poderiam retomar o relacionamento se ele libertasse Leonardo. Imediatamente, Major não apenas liberta o rapaz, como também o promove sargento da tropa regular.

Agora em liberdade, Leonardo reencontra seu primeiro amor, Luisinha, e descobre que ela está recém- viúva. Reatam o amor que tiveram no passado, iniciando o namoro. Novamente, Major Vidigal ajuda Leonardo, tornando-o sargento de milícias e lhe dando permissão para casar-se com Luisinha.