A Faca de Dois Gumes

A Faca de Dois Gumes é obra do escritor brasileiro Fernando Sabino, publicada em 1985. Sabino nascera em 1923 e consagrou-se como um grande cronista, romancista e contista do Brasil. Tendo como sua marca registrada um discurso coloquial que utilizava em quase todas as suas obras, utiliza em A Faca de Dois Gumes de muito psicologismo, assim como o fluxo de consciência do protagonista da obra. A história tornou-se um grande sucesso de crítica e público, principalmente pela capacidade de prender a atenção de seu leitor do começo ao fim, e fazê-lo raciocinar de que nem sempre o óbvio pode ser o melhor caminho a percorrer, utilizando em sua reta final de pessimismo e existencialismo sobre a vida. Fernando Sabino mostra ao leitor que uma atitude feita hoje pode voltar-se contra o indivíduo posteriormente, como ocorre de forma trágica com o personagem principal de A Faca de Dois Gumes.

A Faca de Dois Gumes

Foto: Reprodução

Descobrindo a traição

O protagonista da obra é Aldo Tolentino, um homem de 50 anos de idade, viúvo do primeiro casamento – do qual tivera um filho – e atualmente casado com Maria Lúcia, com quem tem dois filhos. Maria Lucia era uma mulher fútil, importando-se somente em satisfazer suas vontades próprias. Para a tristeza de Aldo, ele descobre que sua esposa o está traindo com seu amigo e sócio, Dr. Marco Túlio. Sabino o descreve no livro como “mais baixo, mas desenvolto, bem vestido, queimado de sol, aparência esportiva”.

Completamente transtornado por estar sendo traído de forma tão cruel, por duas pessoas em que confiava, Aldo Tolentino decide se vingar de ambos e planeja tudo para que sua vingança seja realizada com sucesso, considerando-a praticamente perfeita.

Hora de vingar-se

Aldo, que mora no Rio de Janeiro, forja uma viagem de trabalho para São Paulo. Ele embarca no avião, chega na cidade e se hospeda em um hotel. Sem que ninguém note, e com documentação falsa, ele sai do hotel e volta para sua casa, no Rio de Janeiro. Ao chegar, flagra na cama sua mulher, Maria Lucia, e seu amigo, Marco Túlio. Imediatamente, Aldo mata os dois traidores e se retira, voltando para São Paulo tranqüilo de que possuía o álibi perfeito.

Padecendo pela faca de dois gumes

O que Aldo Tolentino jamais imaginaria é que Paulo Sérgio, seu filho, chegaria em casa de madrugada e encontraria os dois corpos, tornando-se o principal suspeito do crime. Acusado, Paulo Sérgio foi levado preso pela polícia e, desolado pela morte da mãe e por estar pagando por algo que não fez, se suicida. Ao saber da morte do filho, Aldo entende o que é padecer por uma faca de dois gumes, pois matara as pessoas que o traíram, mas como consequência teve seu próprio filho preso por um crime que Aldo cometera, e posteriormente morto.